Hoje a nossa entrevista é com José Sousa, jogador do Ermesinde que assume-se um admirador nato de Ronaldo mas continua a achar que Messi é o melhor do mundo. Talhado para grandes assistências, golos e feitos, José tenta levar uma vida normal, de organização e compromisso, sem nunca pôr de lado o sonho de, um dia, tornar-se um jogador importante num grande clube europeu.

Entrevista a José Sousa – #3 Olheiro Crónicas da Bola

1º – Ora muito boa tarde José, como é que te sentes por vir a ser entrevistado pelo Crónicas da Bola? É a tua primeira entrevista ou já és um experiente no assunto?

Já fui entrevistado algumas vezes por parte do meu clube, mas esta é a primeira vez para um site externo.

2º – Com que idade começaste a jogar futebol?

Em relação a futebol federado, desde os 14 anos (Iniciados), mas creio que a bola esteve sempre ligada a mim desde nascença ou pelo menos desde que tinha idade e capacidade para jogar com ela.

3º – Como é que surgiu esta paixão?

Surgiu devido a vários fatores. O mais importante provavelmente foi a paixão que o meu pai e o meu irmão também tinham e que ma passaram.

4º – Qual é o teu clube de eleição?

FC Porto.

5º – Qual foi a tua inspiração?

Foi ver os meus ídolos de infância (Deco, Ronaldinho, etc) a fazerem coisas inacreditáveis e que me dava força para tentar melhorar e um dia fazer essas coisas e servir de inspiração para outros miúdos.

6º – Em termos de jogador, para ti qual o melhor? Porquê?

Apesar de apoiar e gostar mais do Ronaldo mais pela dedicação e pelo esforço que ele faz em prol da sua carreira e do melhoramento enquanto jogador, vou dizer que o melhor é o Messi, simplesmente porque tudo o que ele faz é natural e mágico.

7º – Qual foi o teu melhor momento como adepto de futebol?

Golo do Kelvin aos 92’ contra o Benfica.

8º – Esse foi um golo que marcou 6 milhões de pessoas… Se é que me entendes… Bem, continuando. Já tens alguns anos nas pernas, qual foi a melhor experiência no futebol?

Subir de divisão com a minha equipa. Era o meu ultimo ano na formação e ao inicio a subida não era algo que fosse delineado. Foi uma surpresa porque a serie era muito difícil e no final conseguimos subir.

9º – Já tiveste alguma lesão grave? Se sim, fala-nos sobre ela.

Sim, estou a passar por ela neste momento. Ainda estou a recuperar de uma entorse grave no tornozelo e de um estiramento nos ligamentos. O que mais me ajudou com esta lesão talvez tenha sido aumentar-me a vontade de regressar e motivar-me em prol disso. Muitas vezes por uma questão ou outra o treino não corre bem e mesmo profissionalmente os jogadores sentem-se desmotivados. As lesões, pelo afastamento que passa a existir entre ti e a bola, conseguem fazer com que te esforces ao máximo para voltar o mais rápido possível.

10º – Este ano como é que está a correr a época?

Está a ser um ano bastante positivo. Mais coletivamente do que individualmente uma vez que a lesão ainda me está a manter afastado um bom período de tempo, mas estamos bastante bem posicionados para sermos campeões, por isso está a ser um bom ano.

11º – Em que posição jogas? Sempre jogaste aí, ou mudaste ao longo do tempo?

Sou médio-ofensivo. Sempre foi a minha posição base, apesar de já ser experiente em outras posições, jogando até num passado recente a algumas delas (ponta-de-lança, extremo).

12º – Houve algum treinador que te marcou em especial?

Sim, o mister que acabou por subir comigo no meu último ano de formação (Ricardo Vital). Nem tanto pelo futebol, mas mais pela sua personalidade e pela maneira que agia com os jogadores, que nos permitiu termos, depois de deixarmos de ser treinados por ele, ainda uma ligação bastante próxima.

13º – Sempre te apoiaram como jogador, ou tiveste muitas pessoas a dizerem-te para não seguires o teu sonho?

Sempre me apoiaram. Apesar de sempre porem a escola à frente. O que eu acho que foi bastante acertado uma vez que os miúdos têm primeiro de ser bons alunos, para depois numa atividade extracurricular serem bons a jogar futebol. O futebol é uma coisa muito repentina por isso convém que qualquer miúdo, por muito bom que seja, nunca descure da sua aprendizagem escolar porque irá forma-lo em termos educacionais e pessoais. Se conseguir ligar isso a ser um bom jogador de futebol, melhor.

14º – O teu número de camisola, significa alguma coisa para ti? Sempre usaste esse, ou não?

Já tive vários números. O que uso atualmente é o 20, que já tem sido o meu numero há vários anos seguidos. Tenho aqueles números fetiche (7 e 10) como qualquer pessoa que joga futebol tem, mas nunca me importei demasiado com o número que tinha nas costas.

15º – Qual foi o teu melhor golo até agora?

Em termos de qualidade, é difícil escolher um. Em termos de importância, de certeza o golo que marquei ao Pedras Rubras em casa na época em que subi de divisão. Foi um jogo complicado, contra um adversário direto, com menos um elemento e muito perto do fim, marco o golo, que nos permitiu ter o avanço para subirmos de divisão.

16º – Se pudesses escolher qualquer equipa europeia, qual escolherias para jogar e porquê?

Ficava indeciso entre Porto e Real Madrid. Porto por ser o meu clube, Real Madrid por achar que é a equipa com maior capacidade de vencer as competições nacionais e europeias esta época.

17º – A tua melhor época, qual foi?

A época em que era júnior de segundo ano (em que acabei por subir de divisão). Foi extraordinária em termos individuais e coletivos e foi sem dúvida a minha melhor época.

18º – Como é que lidas com os treinos, estudos/trabalho e vida pessoal?

Às vezes é difícil gerir tudo, mas felizmente já o faço há algum tempo, e nunca tive grandes problemas em encaixar tudo, porque se formos organizados, temos tempo para fazer tudo.

19º – Agora sobre o Crónicas da Bola. Qual é a tua Crónica de Eleição e porquê?

Talvez a cronica sobre o André Gomes. Por eu adorar o Iniesta e o Rakitic e por partilhar da mesma opinião que o autor da crónica quando diz que nem de perto o André Gomes é uma mistura dos dois.

20º – Pergunta final, o que é que te dá mais gozo cada vez que entras em campo?

Ver o quanto as pessoas são apaixonadas por futebol, tanto os jogadores como os adeptos.

Queremos agradecer ao José Sousa pela fantástica entrevista e queremos anunciar que estamos disponíveis a ouvir os interessados, assistir a alguns jogos, e se forem merecedores de uma entrevista exclusiva, assim a terão! Contactem-nos através do Facebook! No entanto, deixo aqui mais uma dica do José:

Adoro chuteiras que me façam sentir confortável e capaz das minhas habilidades! Juntamente com o crónicas da bola, deixo aqui as minhas sugestões!

E tu, achas que tens o que é necessário para seres entrevistado pelo Crónicas da Bola? Clica para saberes mais.

[Total: 1    Average: 5/5]