O destaque do artigo de “Olheiro” de hoje vai para Rodrigo Morais. Tem apenas 11 anos e é na baliza que encontrou o seu talento dentro do campo.

Entrevista a Rodrigo Morais – #4 Olheiro Crónicas da Bola

Olá Rodrigo, como é que te sentes por ser entrevistado pelo Crónicas da Bola? Esta é a tua primeira entrevista ou já tiveste alguma experiência semelhante?

Olá, sinto-me feliz por esta experiência. É a minha primeira entrevista e espero que não seja a última.

1º – Com que idade começaste a jogar futebol?

Comecei com 7 anos.

2º – Como é que surgiu esta paixão pelo futebol?

Esta paixão já nasceu comigo, tenho familiares que também pertencem ao mundo da bola (Vítor Marques “Vitinha”, Luís Carlos e Christian Pereira), por isso acho que já me está no sangue.

3º – Qual é o teu clube de eleição?

FC Bayern de Munique

4º – Qual foi o teu melhor momento como adepto de futebol?

Foi quando a seleção portuguesa ganhou o euro 2016.

5º – Sabemos que jogas na equipa do Hugo Pinto e que tens uma boa relação de amizade com ele, queres falar-nos um bocadinho sobre isso? (quando começaste a jogar com ele, se trabalham bem em equipa, se fizeram várias jogadas juntos, etc)

Sim, o Hugo é um Grande amigo meu. Fazemos parte da mesma equipa desde que comecei a jogar futebol. Fazemos uma boa equipa e grandes jogadas juntamente com os nossos colegas.

6º – Fala-nos do teu percurso no futebol, por que clubes passaste, prémios de equipa e/ou coletivos e memórias que te tenham marcado.

Com a minha equipa já conquistei duas vezes o 1º lugar em torneios e num deles recebi o prémio de Melhor Guarda-Redes, também me sagrei campeão distrital e fui o Guarda-Redes com menos golos sofridos no campeonato. No início desta época fui chamado a um treino de guarda redes do FCPorto e fui selecionado para ir fazer um jogo de captação em que vencemos a equipa adversária (escalão superior) por 9-0.

Recentemente, os meus pais foram contactados pelo Sr. Afonso dos Santos, que faz scouting para o FC Arouca, para eu ir fazer treinos de captação lá.

As minhas melhores memórias foram as entregas dos prémios.

7º – Este ano como é que está a correr a época?

Está a ser uma época excelente, estamos em primeiro lugar e continuo a ser o guarda-redes com menos golos sofridos.

8º – Como é que percebeste que o teu principal forte era ser guarda-redes?

Ao inicio eu era atacante, mas como sofríamos vários golos decidi experimentar ir à baliza. Foi aí que percebi que era esse o meu talento.

9º – Tens algum número de jogos sem sofrer golos?

Sim, tenho tantos que lhe perdi a conta.

10º – Qual foi o teu melhor momento como jogador de futebol?

Foi o ano passado quando fomos Campeões Distritais.

11º – Qual é o teu número de camisola?

É o nº 1.

12º – Este número tem algum significado para ti?

Sim porque significa que vou ser o titular.

13º – Qual foi a tua melhor defesa até agora?

Tenho várias, mas a que mais gostei foi quando soquei a bola para cima e todos os adversários estavam a festejar o golo que não entrou.

14º- Sempre foste guarda-redes, esse sempre foi o teu sonho? Ou já jogaste como jogador de campo?

Como já referi, comecei como jogador de campo, mas depressa percebi que a vocação era ser Guarda-Redes

15º – Se pudesses escolher qualquer equipa europeia, qual escolherias para jogar e porquê?

Escolhia o Bayern de Munique porque tem um bom plantel e teria o prazer de jogar com o meu ídolo Neuer

16º – Já tiveste alguma defesa de sonho?

Sim, defendi uma grande penalidade entre outras

17º – Consegues conciliar bem a escola com os jogos e treinos? É importante para ti ter também um bom percurso académico para além do futebol?

Sim, consigo muito bem. Treino três vezes por semana e mesmo assim consigo bons resultados. Sou o segundo melhor aluno do meu ano e o meu objetivo no 2º período é fazer parte do quadro de mérito pois tive três 4 e o resto tudo 5, não será difícil. Para mim ser Bom aluno é tão importante como ser Bom Guarda-Redes.

18º – Agora sobre o Crónicas da Bola. Qual é a tua Crónica de Eleição e porquê?

Aquela sobre Iker Casillas e Gianluigi Buffon “OLD IS GOLD”, pois quando se é bom no que se faz não somos demasiado velhos, porque infelizmente um jogador a partir dos 32 anos já é considerado “velho” para jogar.

19º – Pergunta final, o que é que te dá mais gozo cada vez que entras em campo?

Lutar por mais uma vitória.

Queremos agradecer ao Rodrigo e ao seu pai, Hélder Morais, pela disponibilidade apresentada assim como a honra de quererem fazer parte deste nosso projeto! Um grande OBRIGADO e que continuem a acompanhar-nos no Crónicas, como nós continuaremos a acompanhar o Rodrigo na sua carreira como jogador!

Farto de trabalhar no duro sem resultados? As grandes equipas já usam Prozis, e tu?

 

E tu, achas que tens o que é necessário para seres entrevistado pelo Crónicas da Bola? Clica para saberes mais.

Saber Mais

[Total: 5    Average: 4.4/5]