Sporting e Olympiakos defrontaram-se hoje, no Estádio José Alvalade. A partida é a penúltima para o apuramento na UEFA Champions League. O fator casa foi, efetivamente, determinante. Os leões conquistaram a Europa com 3 golos, sendo que Bas Dost visou. Já o Olympiakos quis mostrar que marcou presença e deu apenas uma tristeza a Rui Patrício, guardião da baliza sportinguista. A partida contou com o regresso de Jérémy Mathieu, após este ter estado um mês parado devido a uma lesão.

A quinta jornada do Grupo D da Liga dos Campeões tornou-se decisiva para ambas as equipas. A formação grega era a lanterna-vermelha do grupo, com apenas um ponto. Já os sportinguistas tinham quatro ponto e queriam, no mínimo, selar o apuramento para a Liga Europa. E bem que o conseguiram.

Leões confiantes após a boa exibição

Jorge Jesus tinha, tal como explicou no Flash interview do pós-jogo, “o objetivo de vencer e tentar que os jogadores que estiveram lesionados não tivessem nenhuma recaída”. O treinador reconhece que os dois primeiros golos, na primeira parte da partida, deram segurança à equipa mas, após o 3-0, “a equipa começou a não recuperar os posicionamentos e só por isso é que levámos o golo do Olympiakos”.

O marcador de serviço, Bas Dost, foi o autor de dois dos golos desta vitória por 3-1 ao Olympiakos. O avançado reconhece que “os les têm de estar orgulhosos do percurso até agora cumprido na prova”. O caminho em frente? Bem, esse diz que “uma vitória em Camp Nou, frente ao Barcelona, será muito complicada”. Mas ainda que consciente da dificuldade do apuramento, “temos que vencer o Barcelona. Vamos lá tentar ganhar. Não temos muitas oportunidades, mas… Porque não? Temos de acreditar em nós mesmos”.

A cada minuto, um Sporting mais triunfante

A entrada da equipa da casa seguiu à regra as indicações dadas por Jorge Jesus. O primeiro perigo surgiu aos quatro minutos, pelos pés do central André Pinto. Em substituição de Coates, castigo, André Pinto rematou. Mas Proto defendeu e a bola foi, pela primeira vez, encontrar-se com o poste do guardião grego. E a partida assim se desenrolou. Com um Olympiakos demarcado pela dificuldade em ir mais além do que o último terço do terreno sportinguista.

Rui Patrício, da calma da sua baliza, observava o desenrolar da partida. Mas ainda que o Sporting tivesse domínio sobre o jogo, a criatividade faltava. As oportunidades surgiam e faltava a finalização criativa e eficaz.

A equipa comandada por Takis Lemonis assumiu, na primeira parte da partida de hoje, uma postura defensiva. E, por isso, Jorge Jesus começava a perder a calma. Mas é compreensível, ora não estivessem cinco homens em proteção da baliza grega.

E quando faltavam cinco minutos para o intervalo, o goleador do costume lá conquistou o fundo das redes. Bas Dost aproveitou um passe rasteiro de Gelson e abriu a contagem em Alvalade. O estádio delirou mas rapidamente voltou a festejar. Bem, não fosse desta vez a exibição de Bruno César dar em golo. E assim estava feito o 2-0, e o Sporting poderia agora ir mais calmo para o intervalo.

Cuidado com o levantar da crista

O Sporting Clube de Portugal, evidentemente, voltou confiante. Entraram na segunda parte da partida com a mesma atitude que na primeira, não dando margem para ações do adversário. Apenas não comandaram uma coisa, face à confiança desmedida. É como se diz… Cuidado ao ir na crista da onda.

O remate dos gregos à baliza de Rui Patrício deu em golo. Só isso, é de reparar.  Odjija aproveitou uma desconcentração da turma leonina para reduzir a diferença.

André Pinto esteve, de novo,  muito perto de marcar. Desta vez a jogada seguiu de um cruzamento de Bruno César, mas a sorte voltou a não acompanhar o central, que viu o remate sair ligeiramente por cima da baliza de Proto.

O Sporting continuou a pressão. E o Olympiakos voltou a ceder. Bas Dost aproveitou um canto batido na direita, por Bruno Fernandes. Ampliou a vantagem e conquistou, de novo, a casa cheia.

Mathieu, de livre, e Bruno Fernandes, após um passe de Coentrão, aos 77 minutos, tiveram nos pés a oportunidade de conferirem um tom mais sonante à goleada sportinguista.

[Total: 3    Average: 5/5]