São fenomenais as situações implacáveis que o futebol nos dá. Dentro das quatro linhas há jogos históricos, este ano já assistimos a grandes jogos! Empates a 3 quando estavam a perder 3-0. Ou a ganhar. Reviravoltas monumentais como no FC Porto-Chaves, Barcelonas-PSG e Dortmund-Benfica. Depoitre já fez o seu trabalho este campeonato, Soares vai alcançar o sucesso garantido e até Bruno Varela e João Carvalho têm o lugar garantido.

Curioso verificar o que aconteceu após o empate no Dragão

Nem sei por onde começar. Se pelos agradecimentos aos jogadores da formação do Seixal ou pelo comunicado de ontem. Invade o medo, invade o receio, invade o desespero e invade uma doninha fedorenta na FPF. Estou a precisar de férias, mas tenho medo que isso seja uma falta de respeito para todos os nossos leitores benfiquistas. Depois sai um comunicado e um mandato de captura. É melhor continuar a escrever.

O Benfica é um clube que obviamente não vive do passado. Sendo assim, passo a citar: “existem factos que resultam de ameaças, insinuações e insultos públicos (…) factos comprovados, muito preocupantes, que fazem lembrar um regresso a um passado (…)” Fim de citação.
Será que estão a falar do dia 17 de fevereiro de 2017? Ou do dia 22 de fevereiro de 2017? Do que é que eu estou a falar? Inácio Pereira. Sabem quem é este senhor? Este senhor foi árbitro do Vitória de Setúbal vs Benfica, que não assinalou uma grande penalidade sobre o Carrillo, no dia 17 de fevereiro, encontrou o seu carro totalmente riscado depois do tal jogo. E no dia 22 de fevereiro, foi feita uma queixa na GNR de Fafe por ameaças à família e ameaças de morte. Investiguem, vale a pena.

No entanto, eles podem não estar a falar desse passado. Será que o clube do “calabote e do mister king”, do escândalo da corrupção na Roménia, dos “vouchers”, do #colinho, dos túneis, da porta 18, do “very light” e do “Estoril Gate”, estão a falar de algum caso deste género? Provavelmente não. Estão a falar da “visita à Maia”, ou do “apito Dourado”. Casos estes, arquivados, sem provas fundamentadas e fora do que se anda a passar no futebol nacional.

No entanto, há um medo a pairar no ar e cada vez mais é mais difícil encontrar um benfiquista confiante

Dia 1 de abril de 2017, joga-se o campeonato da mentira e da corrupção, onde o FC Porto terá de ir contra tudo e contra todos para vencer. Já se lançam comunicados desesperados, ameaças e crenças sem fundamento, indiretamente “insinuações e pressões” estão a ser feitas neste comunicado, que tem a ousadia de pedir “transparência no futuro”. Mas querem transparência? Eu vou só falar dos últimos jogos do Benfica.

Benfica vs Chaves, quais foram os casos que influenciaram diretamente o resultado? A favor do Benfica, pois claro.
Feirense vs Benfica, mais uma vitória beneficiada de um escandaloso penálti que ficou por assinalar.
Benfica vs Braga (este na primeira metade da época), um jogo em que é validado um golo ao Pizzi, que num lance parecido e muito diferente no sentido de tolerância disciplinar, no jogo do Benfica vs Chaves, foi invalidado.

E já nem falo dos penáltis que não se marcam a favor do FC Porto. A transparência quer o FC Porto mostrar e tem andado a mostrar no início da época. Não serão os comunicados de um bebé amuado que nos vão fazer perder o rumo. Normalmente quando um miúdo mais novo quer alguma coisa, faz uma birra para ver se cola. Acreditem amigos portistas, este comunicado vai colar. Dia 1 de abril começamos o jogo contra 14. #ForçaPorto #VencePorNós!

[Total: 5    Average: 4.6/5]